Ir para o conteúdo

PARTICIPA MARANHÃO

plataforma digital de participação popular do maranhão

ou

Acessos - comunidade

  • 89 comentários
  • 99369 acessos
 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Palestra de Jessé de Souza reuniu centenas de pessoas na UFMA (projeto “Diálogos insurgentes”)

4 de Maio de 2018, 15:00 , por Milena Reis - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 28 vezes

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP), em parceria com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), realizou no último dia 4 de maio mais uma edição do projeto “Diálogos Insurgentes”, a primeira deste ano.

Com o tema: “Para entender o Brasil: uma abordagem sobre raça, classe e democracia”, o sociólogo e professor de Ciência Política na Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ), Jessé de Souza, reuniu cerca de 700 pessoas no Auditório do Complexo Paulo Freire, na UFMA.

 Dialogos insurgentes 4.5

Com o objetivo de ampliar o debate intersetorial e transversal de temas contemporâneos relacionados aos direitos humanos e que contribuem para disseminar a cultura e educação nesse sentido, a palestra reuniu estudantes, professores, sociedade civil e representantes do poder público em mais de duas horas de conversa sobre o Brasil atual.

Segundo Jessé de Souza, “a classe é reprodução de privilégios – positivos ou negativos. A elite financeira reproduz propriedades, a classe média reproduz um outro capital, que no capitalismo é tão importante que é o capital cultural, conhecimento”.

Dialogos insurgentes 4.5

A palestra dividiu-se em dois momentos: o primeiro com a fala do sociólogo e a segunda com a participação do público presente por meio de perguntas e discussões acerca do tema. A mediação ficou por conta de Silvane Magali, Diretora Científica da FAPEMA.

Entre muitas das considerações, Jessé alertou, ao dizer: “Não se deixem enganar. Só existe uma interpretação, uma narrativa, uma história que é completa sobre o que é que significa o Brasil. Não existe outra. E essa interpretação sobre quem nós fomos só foi tão convincente porque exatamente ela tenta explicar do começo ao fim; e é isso que as pessoas há milhares de anos dizem o que é preciso ter (...) que existam ideias que dêem sentido a nossas vida, que sejam o motivo do nosso comportamento”, frisou o sociólogo.

O tema desta edição trouxe uma discussão importante sobre o panorama brasileiro considerando os acontecimentos atuais, alinhando-se à importante discussão sobre os direitos humanos.


Categorias

Eventos

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

* campo é obrigatório

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.