Ir para o conteúdo

PARTICIPA MARANHÃO

plataforma digital de participação popular do maranhão

ou

Acessos - comunidade

  • 206 comentários
  • 321978 acessos
 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Você sabia que pode decidir para onde vai o dinheiro do seu imposto de renda?

6 de Abril de 2021, 13:32 , por mariana moura - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 22 vezes

É possível. E a destinação para fundos e projetos sociais pode transformar a vida das pessoas: no Maranhão, o contribuinte pode destinar parte dos seus impostos aos projetos dos segmentos de idoso e criança e adolescente.

 

A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) é responsável pela articulação das ações de direitos humanos no estado, assim, é a gestora ou componente dos conselhos diretores de cinco fundos que estão vinculados à área e contribuem com o funcionamento de diversas ações e projetos, são eles: o de Proteção e Defesa do Consumidor (FEPDC); o dos Direitos Difusos (FEPDD); o de Apoio aos Povos Indígenas (FEAPI); o dos Direitos da Criança e do Adolescente (FEDCA/MA); e, o Defesa da Pessoa com Deficiência (FEPD); o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso (FEDPI). Anualmente, os contribuintes do leão também podem fortalecer ações voltadas para algumas dessas temáticas destinando parte do valor declarado ao fisco aos fundos estaduais das áreas do idoso (FEDPI) e da criança e do adolescente (FEDCA), fundos aptos a receberem doações.

 

O Imposto de Renda é tributo arrecadado pelo Governo Federal sobre os ganhos de pessoas e empresas, que a partir daí recebem aplicações diversas. Parte deste dinheiro é transferido para o tesouro nacional e utilizado pelo governo federal no financiamento de projetos, a outra parte retorna para aplicação nos estados e municípios. Mas os contribuintes também podem dizer ao fisco onde desejam que o dinheiro do seu imposto seja aplicado, tais como: os fundos de programas sociais nas áreas de educação, saúde, cultura, entre outros.

 

Atualmente, a legislação brasileira permite que pessoas físicas e jurídicas façam doações para os fundos nacionais, estaduais e municipais. A pessoa física pode doar até 6% do imposto devido declarado no modelo completo e pessoas jurídicas podem doar até 1% do total da receita apurada no ano anterior. Destaca-se que não é retirado nenhum dinheiro do contribuinte, trata-se apenas de uma orientação dada ao fisco de onde quer que seja aplicado o investimento dos seus impostos.

 

O secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, Chico Gonçalves, afirmou que a destinação do Imposto de Renda para os fundos que apoiam ações de direitos humanos é um compromisso político: “políticas públicas se fazem com investimento. É preciso garantir capital para a execução das ações de direitos humanos, como contribuintes temos direito de decidir o futuro dos nossos impostos e monitorar a sua aplicação. Investir nos fundos de Direitos Humanos é assim um compromisso político que garante direitos aos mais vulneráveis. É um compromisso que eu, enquanto pessoa física já assumi e vejo, anualmente, transformando vidas. Faço o convite a todos que tomem a mesma decisão!”, convidou o secretário.

 

Fazer a doação é muito simples, o próprio sistema eletrônico oferece um botão com as opções de fundos disponíveis para recebimento de recursos e ele mesmo faz o cálculo referente ao montante que lhe é permitido doar. Por exemplo, uma dívida de R$ 1.000 (hum mil reais) ao fisco. Deste valor, o equivalente a 6% do total pode ser doado, que neste caso é igual a R$ 60,00 (sessenta reais). No canto esquerdo da tela você pode selecionar o Fundo Estadual para o qual deseja doar: FEDCA ou FEDPI, quitar o débito e pronto! A Receita Federal fará o encaminhamento dos 60 reais destinados por você, daquele total de 1.000 (mil reais), e que agora serão investidos no futuro do nosso país, que são nossas crianças e adolescentes, aos nossos idosos.


Para quem está declarando o IR pela primeira vez, pode ser interessante contar com um auxílio de um especialista no processo, pois, diante de dúvidas, é interessante pedir ajuda a alguém com experiência, que já tenha declarado em anos anteriores. Se já tem familiaridade com o IR, vale lembrar que atualmente já é possível fazer a declaração pela internet, por meio do programa Receitanet (disponível para computador) ou através do app IRPF, disponível para smartphones (Android e iOS).

 

Card dh1

Card dh 2


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

* campo é obrigatório

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.